Quantas vezes você se sentiu tocado e grato em estar vivendo um momento? Onde está a beleza que te encanta? E com qual frequência você vive ela? No ritmo desenfreado da nossa sociedade, subestimamos a importância do contemplar em nosso cotidiano. Na loucura da vida, presos as nossas tarefas e preocupações, a gente perde o tempo de parar, e contemplar. Nos acostumamos a viver preparando nosso futuro. E viver para o futuro, é viver para um tempo que ainda não existe. Ansiosos e apressados, vivemos nos prevenindo, acumulando dinheiro, conforto, infraestrutura e desejos de ter.

Eu precisei sair da grande cidade, me mudar com minha família para um pequeno vilarejo, de natureza exuberante na Bahia para aprender a contemplar a vida. E desde que nos mudamos, a cada passeio na praia, no rio, a cada céu estrelado, nascer da lua ou por do sol, eu sinto a sorte de estar onde estou, sinto gratidão. Me desconecto desse futuro que aprendi a viver antes de chegar aqui. Percebo que para me sentir feliz, de forma honesta e consciente, preciso me oferecer esses momentos. Percebo que com calma, eu ganho tempo, e com pressa, só perco.

Vivendo o instante, a gente se desconecta do futuro e de todas nossas ânsias e preocupações rotineiras, e VIVE sem nenhum esforço mental, a GRATIDÃO e o ENCANTAMENTO. Gratidão em estar, exatamente lá, onde estivermos, naquele momento, do jeito que for, com quem for...entregues ao mistério da vida. Aqui a gente se conecta apenas com o que já tem, e tudo o que a gente quer é que o presente dure, eternamente.

Martha Kater é filha de pai brasileiro e mãe francesa, nasceu no Brasil e desde pequena costuma viajar pelo mundo afora. Morou em diferentes cidades como, Cannes, Paris (onde se formou em história da arte), Belo Horizonte e São Paulo. Empreendedora, casada e mãe de duas filhas, criou em São Paulo uma empresa de coworking e participou na criação de tantas outras. Atualmente, administra seus negócios à distancia, e experimenta uma vida simples e saudável no ritmo da exuberante natureza de Barra Grande, Bahia.

 

Comment